Qual é a alimentação mais adequada para as gestantes?

 

Durante a gestação, a dieta das mulheres tem algumas restrições e orientações específicas. É recomendado, por exemplo, que as gestantes diminuam a quantidade de sal na comida, evitem alimentos gordurosos e façam de 4 a 6 refeições por dia, de três em três horas – o que ajuda a diminuir os sintomas de enjoo.

Informações como essas foram transmitidas às mulheres usuárias dos Restaurantes Populares administrados pela ASP durante a ação educativa do mês de fevereiro. As ações educativas acontecem todos os meses e tem o objetivo de levar conhecimento sobre alimentação, saúde e qualidade de vida aos usuários dos restaurantes.

O material de fevereiro foi produzido pela equipe nutricional da Unidade Matriz, na Praça Rui Barbosa, e distribuído aos demais restaurantes – nos bairros Sítio Cercado e Fazendinha. Durante a ação, as nutricionistas abordam quem possa se interessar pelo assunto, entregam o folder e tiram possíveis dúvidas.

Priscila Brandalize, gestora da Unidade Matriz, conta que a maioria das mulheres com quem a equipe conversou demonstrou muito interesse no material. “Essa ação com as gestantes é muito importante, porque muitas vezes a mãe não cuida da sua alimentação por pensar que não é necessário”, aponta. “Nós queremos incentivar essas mulheres a terem hábitos saudáveis”, conclui a nutricionista.

 

Confira abaixo as dicas das nutricionistas dos Restaurantes Populares:

 

  • O que comer para ter uma alimentação saudável no período da gestação:

 

Carboidratos: fornecem energia para o organismo da mulher e o desenvolvimento do bebê. A gestante deve priorizar os carboidratos complexos, encontrados, por exemplo, nos pães e cereais integrais, que são absorvidos mais lentamente;

Proteínas: responsáveis por construir, manter e renovar os tecidos da mãe e do bebê. As principais fontes de proteína são as carnes, o leite e seus derivados, mas ela também é encontrada nos feijões, soja, amendoim, vagem e ervilhas;

Vitamina A: importante para a manutenção da placenta; protege contra pré-eclâmpsia e eclampsia; reduz risco de anemia. Fontes: fígado de boi, fígado de galinha, leite, agrião, couve, espinafre, brócolis, cenoura, laranja, mamão, manga;

Fósforo: participa, assim como o cálcio, da formação dos brotos dentários e do esqueleto do feto. Fontes: carnes magras e laticínios;

Uma alimentação equilibrada e variada é essencial em todas as fases da vida. Especialmente durante a gravidez, a alimentação desempenha um papel fundamental para o desenvolvimento saudável do bebê e para a manutenção da saúde da mamãe.

Alguns nutrientes merecem destaque na alimentação nesta etapa: ácido fólico B9; ferro; vitamina C; vitamina B6; cálcio e vitamina D.

 

  • Situações comuns na gravidez e como diminuir o desconforto:

 

Náuseas e Vômito:

– Faça refeições pequenas, em intervalos regulares. Comer demais ou ficar de estômago vazio aumenta os enjoos;

– Evite alimentos gordurosos, muito condimentados ou muito doces;

– Prefira alimentos mais secos, principalmente na parte da manhã.

 

Azia:

A sensação de queimação pode ocorrer principalmente após as refeições e aumenta de intensidade ao longo da gestação. Comer devagar, em ambientes calmos, em pequenas quantidades, mastigando bem e evitar deitar-se após as refeições, ajuda a diminuir os episódios de azia.

 

Constipação Intestinal:

Ingerir mais fibras (frutas, frutas secas, sementes, verduras, legumes, grãos integrais), aumentar o consumo de água e realizar atividades físicas.

 

Orientações Nutricionais

– Procure realizar de 4 a 6 refeições por dia, mantendo horários regulares. O intervalo entre as refeições deve ser de 3 horas.

– Mantenha uma alimentação variada e o mais natural possível,

rica em frutas, verduras e vegetais.

– Evite a ingestão de refrigerantes e sucos industrializados, biscoitos recheados e outras guloseimas no seu dia-a-dia.

– Diminua o consumo de gorduras, como, carnes gordurosas, banha de porco, sorvetes, pipocas de micro-ondas, comidas congeladas, dando preferência as gorduras que provenham de peixes, oleaginosas (castanhas, nozes), óleos vegetais (girassol, soja) e azeite extra virgem.

– Diminua a quantidade de sal na comida. Evite consumir alimentos industrializados, que contém grandes quantidades de sódio, como hambúrguer, salgadinhos, salsicha, linguiça e presunto.

– Evite o fumo e o consumo de álcool, pois prejudicam a sua saúde, o crescimento do feto e aumentam o risco de nascimento prematuro.

 

Fonte: http://bvsms.saude.gov.br