Unidades da ASP realizam atividades de formação em conjunto

307

O trabalho com crianças e adolescentes exige formação constante por parte dos profissionais envolvidos. Ciente disso, a Ação Social do Paraná organiza momentos formativos com o coletivo de educadoras com o objetivo de ampliar e repertoriar o conhecimento. A qualidade dos atendimentos ofertados pelas unidades perpassa pela equipe que encoraja, instiga, desafia e anima as mais variadas propostas que desenvolvam ações autônomas das crianças e adolescentes.

Nos dias 17 e 18 de julho o Centro de Educação Brilho do Sol participou de uma destas vivências formativas, junto com as equipes do CEI Bom Pastor e da Brinquedoteca do Tatuquara. No primeiro dia os profissionais da assessoria de comunicação da ASP realizaram uma atividade de formação que teve como objetivo qualificar os registros das ações realizadas nas unidades para noticiá-las nos canais de comunicação da mantenedora.

Além de falar sobre os canais disponíveis e apresentar algumas estatísticas de acesso, os profissionais destacaram a estrutura ideal do texto a ser veiculado, com registros fotográficos de qualidade e que sejam condizentes com o tema central que está sendo tratado. Para isso, apresentaram noções básicas de fotografia (luz e enquadramento) e realizaram um momento de prática em que as participantes puderam realizar registros e aplicar as dicas apresentadas.

No segundo dia, pela manhã, as equipes pedagógicas do CEI Brilho do Sol e do CEI Bom Pastor estruturaram o planejamento e demais ferramentas de registros pedagógicos, os quais compreendem o cotidiano da prática profissional.

No período da tarde, por meio de uma parceria com a mediadora de leitura Alana Albinati, da Casa da Leitura do Tatuquara, a equipe pôde desenvolver reflexões que enriqueceram as variadas formas de leituras que nos apropriamos diariamente e sobre a urgência de realizarmos análise de conjuntura/contextos. “A atividade foi surpreendente pela qualidade e desenvolvimento da proposta, que permitiu ampliar e agregar olhares e assim despertar o interesse pela leitura”, avaliou a professora Zuleide Ramos.

A capacitação reforçou que ao professor/educador cabe o desafio constante de alimentar e ampliar o repertório do público atendido, mas precisa se “auto-alimentar”. Com os textos de apoio foi oportunizado refletir, rever e ampliar o olhar para a importância da leitura do professor e seus estímulos ao publico atendido.

Confira alguns dos registros feitos na prática de fotografia:

Compartilhar